Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Início > Acadêmicos > Merval Pereira

Perfil do Acadêmico

Oitavo ocupante da cadeira nº 31, eleito em 2 de junho de 2011, na sucessão de Moacyr Scliar, falecido em 27 de fevereiro de 2011, foi recebido em 23 de setembro de 2011, pelo Acadêmico Eduardo Portella.
Cadeira: 
31
Posição: 
Atual
Antecedido por:
Data de nascimento: 
24 de Outubro de 1949
Naturalidade: 
Rio de Janeiro - RJ
Brasil
Data de eleição: 
2 de Junho de 2011
Data de posse: 
23 de Setembro de 2011
Acadêmico que o recebeu: 
Fotos relacionadas
  • O conferencista Gelson Fonseca em destaque e, ao fundo, o Acadêmico Merval Pereira
Ver todas as fotos

Notícias relacionadas

Artigos relacionados

  • No fio do bigode

    O Globo, em 29/09/2022

    Se vencer no primeiro turno, o ex-presidente Lula não pode cair na esparrela de que a maioria dos eleitores terá votado nele por sua história, por seu carisma. Assim como Bolsonaro nunca foi dono dos 58 milhões de votos que teve em 2018, também Lula não será eleito no primeiro turno, se for, porque o PT, ou mesmo ele, detém a preferência hegemônica dos cidadãos brasileiros.

  • Aposta no escuro

    O Globo, em 27/09/2022

    À medida que se aproxima o dia da eleição, fica claro que não há apoio político nem militar para que o presidente Bolsonaro tente um golpe. As pesquisas mostram que hoje o bolsonarismo é resiliente, mas minoritário. O arroubo militar de querer encontrar nas urnas eletrônicas indícios de fraude foi neutralizado pela ação do Tribunal de Contas da União (TCU), que também fará uma auditoria técnica nelas, nos mesmos moldes pretendidos pelos militares.

  • O povo nas ruas

    O Globo, em 25/09/2022

    No ciclo de palestras sobre o Bicentenário da Independência, que incluiu uma sessão conjunta com a Academia das Ciências de Lisboa, a Academia Brasileira de Letras, através de palestras de um de seus membros, o historiador José Murilo de Carvalho, e do sociólogo Sérgio Abranches, fez uma a avaliação do peso da participação popular no nosso processo histórico, tanto do ponto de vista das manifestações de rua quanto da ampliação cada vez maior historicamente do eleitorado.