Início > Noticias > Romancista Ignácio de Loyola Brandão recebe na Academia Brasileira de Letras o novo Prêmio Machado de Assis

Romancista Ignácio de Loyola Brandão recebe na Academia Brasileira de Letras o novo Prêmio Machado de Assis

O romancista paulista de Araraquara, Ignácio de Loyola Brandão, pelo conjunto de sua obra, foi o primeiro ganhador do Prêmio Machado de Assis, no novo formato (a partir deste ano, o único a ser outorgado pela Academia Brasileira de Letras). Ele recebeu a importância de R$ 300 mil e diploma, que foram entregues em solenidade no Salão Nobre do Petit Trianon, no dia 20 de julho, quarta-feira, às 17:00 horas, quando a ABL esteve comemorando seus 119 anos de fundação.

O Presidente da ABL, Acadêmico e professor Domício Proença Filho, seguindo a tradição da Casa, leu o discurso pronunciado por Machado de Assis na Sessão Inaugural, do dia 20 de julho de 1897. A seguir, passou a palavra ao orador oficial, o Acadêmico Candido Mendes de Almeida.

A Medalha João Ribeiro foi entregue pelo Acadêmico e poeta Antonio Carlos Secchin e pelo Acadêmico e professor Arnaldo Niskier, ao escritor Maximiano de Carvalho e Silva e ao educador Carlos Alberto Serpa de Oliveira, respectivamente.

O Presidente encerrou a sessão e convidou os presentes para assistirem no pátio da ABL a um concerto da Banda do Corpo de Fuzileiros Navais e para o coquetel que se seguiu à apresentação e ocorreu na Sala dos Poetas Românticos, também no Petit Trianon.

“Em seu novo formato, o Prêmio Machado de Assis valoriza e reverencia o autor brasileiro, ao consagrar o conjunto de sua obra”, de acordo com a ABL. O vencedor fez parte, inicialmente, de uma lista tríplice entregue pelos Acadêmicos. Considerados os nomes mais votados, a Diretoria criou uma nova lista e a apresentou ao plenário em ordem alfabética. A seguir, houve a escolha do ganhador, por intermédio de votação secreta, em sessão acadêmica, no dia 7 de julho, quinta-feira.

A ABL, até 2015, concedia prêmios em diversas áreas (poesia, ficção, ensaio, literatura infanto-juvenil, tradução, cinema e História e Ciências Sociais). A partir deste ano, apenas o Prêmio Machado de Assis será o representativo da Academia, intercalando as áreas de Literatura e de Humanas, sempre com a condição de valorizar o conjunto de obra dos autores selecionados.

18/07/2016