Início > Noticias > Marco Maciel é eleito imortal

Marco Maciel é eleito imortal

Bianca Tinoco

Jornal do Commercio (19.12.2003)

O escritor e senador pernambucano Marco Maciel (PFL), ex-vice-presidente da República, foi eleito ontem para a cadeira 39 da Academia Brasileira de Letras, anteriormente ocupada pelo jornalista Roberto Marinho. Maciel, de 63 anos, recebeu 28 votos e venceu o jornalista e escritor Fernando Morais, que obteve nove votos. Outros 11 candidatos tentaram a vaga, mas não tiveram votos.

- Sou exclusivamente um homem público e pretendo trazer a contribuição da atividade pública para a Academia, principalmente nas questões de Governo e na discussão das reformas políticas. Estou muito feliz, nunca pensei que conseguiria entrar para a ABL - confessou Maciel, empolgado, durante a reunião de cumprimentos no Hotel Glória, onde esperarou o resultado.

- Estamos muito contentes com a entrada de Maciel na Academia - disse o presidente da ABL, Alberto da Costa e Silva. "Ele é uma grande figura pública brasileira e um homem de encanto pessoal inexcedível", elogiou.

Autor de três livros, "Idéias Liberais e Realidade Brasileira" (1984)", "Educação e Liberalismo" (1987) e "Liberalismo e Justiça Social" (1987), Maciel candidatou-se à vaga de Roberto Marinho logo na madrugada do primeiro dia de inscrições, 14 de agosto, por e-mail. Cumpriu à risca a rotina dos postulantes à Casa de Machado de Assis, mantendo contato com os acadêmicos e comparecendo como convidado às ocasiões especiais da ABL, como a posse do jornalista Cicero Sandroni, há um mês. A eleição, considerada difícil a princípio devido à disputa com Fernando Morais, acabou durando apenas 35 minutos, com vantagem folgada para o político pernambucano.

- Como acadêmico, me sinto mais desafiado a estimular a interação entre a política e a cultura - afirmou Maciel, que também faz parte da Academia Pernambucana de Letras e da Academia Brasileira de Ciências Morais e Políticas.

Maciel é o quinto acadêmico eleito neste ano, depois de Ana Maria Machado, Alfredo Bosi, Moacyr Scliar e Cicero Sandroni. A próxima eleição será em fevereiro, pela cadeira de número 19, vaga desde a morte de Marcos Almir Madeira, em outubro. Os principais candidatos para a disputa são a historiadora Maria Beltrão, o crítico Antonio Carlos Secchin e o jornalista Marcio Moreira Alves.

 

05/06/2006 - Atualizada em 04/06/2006