Início > Noticias > Acadêmico e jornalista Cícero Sandroni faz na ABL a palestra de encerramento do ciclo ‘Literatura e Medicina’

Acadêmico e jornalista Cícero Sandroni faz na ABL a palestra de encerramento do ciclo ‘Literatura e Medicina’

A Academia Brasileira de Letras encerrou seu ciclo de conferências do mês de outubro de 2017, intitulado Literatura e Medicina, com palestra do Acadêmico e jornalista Cícero Sandroni, que também é o coordenador.

A palestra teve como tema “O Alienista: da psicanálise à ficção” e aconteceu no dia 31 de outubro, terça-feira, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., Avenida Presidente Wilson 203, Castelo, Rio de Janeiro. Entrada franca

A Acadêmica e escritora Ana Maria Machado, Primeira-Secretária da ABL, é a Coordenadora-Geral dos ciclos de conferências de 2017.

Foram fornecidos certificados de presença.

Saiba mais

O CONFERENCISTA

Sexto ocupante da Cadeira 6 da ABL, eleito em 25 de setembro de 2003, na sucessão de Raimundo Faoro e recebido em 24 de novembro de 2003 pelo Acadêmico Candido Mendes de Almeida, Cícero Sandroni cursou Jornalismo na PUC/RJ e Administração Pública na Escola Brasileira de Administração (EBAP) da Fundação Getúlio Vargas.

Foi chefe de reportagem no Correio da Manhã e escreveu por cinco anos a coluna Quatro Cantos de oposição ao regime militar. Trabalhou na Tribuna da Imprensa e em O Cruzeiro. Foi repórter do Jornal do Brasil, editor do Caderno B e do Suplemento Livros. Mais tarde, a partir de 1976 a 83 escreveu o Informe JB. Em 1960, assumiu a chefia da reportagem política no Diário de Notícias. Em 1976, retoma a revista Ficção, fundada em 1965 com Antonio Olinto.

Em 1990, foi editor-geral da Tribuna da Imprensa onde escreveu página semanal sobre cultura e política. Em 1991, criou para a Prefeitura do Rio de Janeiro o mensário literário Rio Artes.

Convidado pelo Ministro da Cultura, Antonio Houaiss e pelo presidente da Funarte, Ferreira Gullar, dirigiu o Departamento de Ação Cultural da entidade. Editou com Gullar e Ivan Junqueira, a revista cultural Piracema. Foi diretor-adjunto do Jornal do Commercio. Participa de vários júris de prêmios jornalísticos e de literatura.

Colaborador de diversos jornais e revistas, publicou, entre outras obras: Austregésilo de Athayde, o século de um liberal; Cosme Velho: passeio literário pelo bairro; 50 anos de O Dia, História do jornal; O Peixe de Amarna; 180 anos do Jornal do Commercio. 1827-2007; Gente do Rio. Eles iluminaram a História (Organização de Nilo Dantes); A arte de mentir; e Batman não foi a Búzios.

25/10/2017

Notícias relacionadas

Vídeos relacionados