Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Início > Artigos

Artigos

  • A memória de Cony

    Folha de S. Paulo, em 12/01/2018

    Meu conhecimento e consequente amizade com Carlos Heitor Cony caminhavam para os 50 anos. Foi em 1968 que nos conhecemos, na bucólica residência de Betinha Lins do Rego, filha do escritor José Lins do Rego (1901-1957), que era proprietária de uma linda casa em Teresópolis, na serra fluminense.

  • A voz da consciência

    Diário do Amanhã (GO), em 21/12/2017

    Autêntico gigante filosófico, Immanuel Kant (1724-1804) nasceu e viveu quase a vida inteira em Königsberg, na Prússia Oriental, hoje Kaliningrado, na Rússia. Pouco se sabe sobre a vida pessoal de Kant, além de que nasceu numa família humilde (o pai era artesão de couros), teve a educação marcada por um severo protestantismo e demorou a ingressar na universidade.

  • A triste herança do povo negro

    Diário do Amanhã (GO), em 06/12/2017

    O mês de no­vem­bro ocu­pa o lu­gar de pro­ta­go­nis­ta nas ce­le­bra­ções em tor­no da me­mó­ria do afro­des­cen­den­te no Bra­sil, em ra­zão do Dia da Con­sci­ên­cia Ne­gra, co­me­mo­ra­do no dia 20 (quan­do te­ria mor­ri­do o qui­lom­bo­la Zum­bi dos Pal­ma­res). É uma opor­tu­ni­da­de em que pen­sa­do­res e in­te­lec­tu­ais de to­do o Bra­sil pre­pa­ram uma agen­da es­pe­ci­al pa­ra que se re­fli­ta so­bre o te­ma. Ex­plo­rar a mul­ti­pli­ci­da­de de pen­sa­men­tos de um po­vo mui­tas ve­zes ig­no­ra­do é es­sen­cial pa­ra fi­xar e eter­ni­zar sua me­mó­ria.

  • O combate ao racismo

    Folha de São Paulo, em 03/12/2017

    O que há de mais singular na formação e no desenvolvimento da literatura afro-brasileira, em comparação com processos similares no resto do mundo, talvez seja o fato de os autores, sobretudo de 1930 em diante, terem a todo instante de declarar a palavra "negro" como instância de afirmação de uma identidade denegada pelo imaginário social hegemônico.

  • A ciência do raciocínio

    Correio Braziliense , em 14/10/2017

    A convite do ex-ministro Ernane Galvêas, fiz uma conferência sobre o ensino da matemática, no Conselho Técnico da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Lembrei os bons tempos em que me formei na ciência do raciocínio, na antiga e saudosa Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Hoje, quero dar voz aos amigos que fizeram, depois da conferência, comentários que me deram grande prazer. 

  • A nova revolução industrial

    Diário da manhã (GO), em 11/10/2017

    Vivemos o tempo da quarta revolução industrial, e daí surge a utilização da inteligência artificial (IA) nesse processo. Estamos conhecendo a existência de máquinas que são capazes de pensar como os humanos. Sabemos que os dois hemisférios IA — o cristalino e o trevoso — em pleno emprego na Universidade de Stanford são capazes de determinar se um indivíduo é heterossexual ou gay, num infernal avanço do desenvolvimento científico e tecnológico.

  • A escola dos nossos sonhos

    Diário da manhã (GO), em 05/10/2017

    Quando fomos apresentados a Duda Falcão, diretora da escola Eleva de Educação Básica, o mínimo que ela diz é que se trata, em Botafogo, da escola dos nossos sonhos. De fato, a visita é enriquecedora, pois na verdade é um maravilhoso reencontro. Naquelas instalações já funcionaram, com milhares de alunos, o Colégio Anglo Americano e a Sesat, instituição de ensino superior, com os seus cursos de Administração, Comércio Exterior e Informática.  Tivemos o prazer de participar desses projetos pedagógicos.

  • A hora do tempo integral

    O Globo, em 03/10/2017

    Talvez seja o exercício do óbvio proclamar a necessidade do tempo integral nas escolas públicas brasileiras, mas é preciso repetir essa verdade até que ela se transforme numa realidade.

  • Os sonhos seguram o mundo

    Diário da Manhã (GO), em 13/09/2017

    Quando eu disse à escritora Nélida Piñon, autora do famoso “A república dos sonhos”, que estava de viagem a Portugal, ela, de forma veemente, recomendou: “Não deixe de visitar a Fundação José Saramago. Há muito o que aprender com as obras do único escritor em língua portuguesa que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura.”