Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Início > Artigos

Artigos

  • Gil e a Luz do Luar na ABL

    O Globo, em 19/04/2022

    Com belíssimas imagens poéticas, o acadêmico e poeta Antonio Carlos Secchin saudou a chegada do cantor e compositor Gilberto Gil à Academia Brasileira de Letras, em noite das mais concorridas. Recebeu o colar da nova imortal Fernanda Montenegro.

  • Educação pós-pandemia

    Jornal Correio da Manhã, em 24/03/2022

    Por iniciativa do Dr. Ernane Galvêas, que dirige o Conselho Técnico da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, realizei uma palestra sobre 'Educação pós-pandemiza'. Após minhas considerações, revezaram-se diversos oradores, com uma Penca de temas pertinentes.

  • Abaixo o nazismo!

    O Globo, em 10/02/2022

    Parecia improvável que aparecesse no Brasil alguém com a coragem ou a irresponsabilidade de defender o nazismo. Pois é que isso surgiu, na pessoa do podcaster Monark (Bruno Aiub), com o apoio do deputado federal Kim Kataguiri (Podemos-SP).

  • Nova educação a partir do 5G

    Folha de S. Paulo, em 01/02/2022

    "Uma boa educação ensina a descobrir a beleza e o poder das ideias." Este é o papel do ensino ativo, como afirmou o pensador Alfred Whitehead (1861-1947). Não há dúvida de que se trata do papel mais nobre reservado aos professores, na sua missão insubstituível de mestres.

  • A reinvenção necessária

    Correio da Manhã, em 23/01/2022

    O tratamento pífio que se dá à educação, em nosso país alcançou níveis inaceitáveis. Perdemos o Ministério da Cultura, substituído por uma Secretaria Nacional que não diz a que veio. São ações que deixam o mundo cultural com um aspecto sombrio, incompatível com as esperanças que cultivamos. Voltar à existência do Ministério da Cultura, indispensável, para dar maior organicidade ao trato da matéria seria uma primeira e decisiva medida a ser adotada pelas nossas autoridades.

  • As diversas vidas de Nara Leão

    O Globo, em 18/01/2022

    A minha passagem pelo jornal Ultima Hora, na década de 50, sob a liderança esportiva de Augusto Falcão Rodrigues, trouxe-me a alegria de uma bela amizade com o repórter e compositor Ronaldo Bôscoli. Foi ele que me ajudou a comprar as alianças do meu sólido relacionamento com a minha querida Ruth, que dura até hoje.

  • Modelo conexionista para a educação

    Folha de S. Paulo, em 23/11/2021

    Os números com os quais a humanidade lida, atualmente, são todos astronômicos. E as consequências não podem deixar de ser igualmente espetaculares. Quando falhou, no dia 4 de outubro, o acesso às redes sociais (Facebook, Instagram e WhatsApp), 2 bilhões de pessoas deixaram de utilizar esses serviços, num prejuízo verdadeiramente inacreditável.

  • Os 100 anos de Paulo Freire

    O Correio da Manhã/ RJ, em 28/10/2021

    A perseguição ideológica é capaz de verdadeiros abusos, como aqueles que atingem o educador Paulo Freire. Autor de algumas das obras mais importantes de alfabetização, no país, reconhecido internacionalmente, o Brasil tem negado os seus méritos, sob a alegação de que a sua obra é eminentemente comunista. Falar em pão e trabalho, no seu afamado método, não pode ser pretexto para condená-lo. Ao contrário, devemos mais homenagens ao educador, agora que se comemoram os seus 100 anos de existência.

  • Deve-se valorizar a educação artística

    O Estado do Maranhão, em 08/10/2021

    A educação básica em nosso país sofreu uma queda sensível no trato das Artes. Deixamos de cuidar adequadamente da educação artística, que já foi uma prioridade em nossos currículos.

    Lembro quando frequentava as aulas de Desenho, no ensino de 1º grau, depois enriquecido com o que chamávamos de Desenho Geométrico. Foi com essa matéria que me destaquei no Colégio de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, quando fui convidado para fazer parte do seu corpo docente. Tinha um prazer imenso de dar essas aulas, em que podia demonstrar os meus conhecimentos matemáticos.

  • Com a Pandemia, um enorme aprendizado

    Especial, Rotativas, em 18/09/2021

    Em todo o mundo, 2020 já se configurou como um ano de desafios sem precedentes. Não queremos mais crianças tristes ou agressivas, tampouco essa injusta desigualdade digital. Cabe aos gestores públicos, junto da sociedade, construir medidas adequadas para enfrentar esses problemas. É hora da mudança.

  • O filósofo da esperança

    Correio da Manhã, em 12/09/2021

    Tarcísio Padilha, filósofo e professor vitimado pela covid-19, aos 93 anos de idade, foi, indiscutivelmente, um homem culto. Demostrou isso no convívio desde 1991, na Academia Brasileira de Letras. Tive o privilégio de recepcioná-lo na Casa de Machado de Assis.

    A lembrança do pensador francês Louis Lavelle marcou o nosso primeiro encontro. Estávamos no ano de 1955 e ele defendia, no auditório do Instituto Lafayette, a cátedra de História da Filosofia da faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da então Universidade do Distrito Federal, hoje Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Foi um encontro memorável, em que o jovem candidato, então aos 27 anos de idade, ganhou a cátedra de forma brilhante. Tirou dez em todas as provas.

  • Com a pandemia, um enorme aprendizado

    O Estado do Maranhão, em 07/09/2021

    A crise da pandemia colocou os jovens com os nervos à flor da pele. Em consequência, apesar da sua forte resiliência, surgiram problemas emocionais de toda sorte, como angústia, ansiedade, agressividade e até mesmo falta de ar e crises de choro em horas inesperadas. Isso tudo foi abordado no programa “Identidade Brasil”, no Canal Futura, com a participação da psicanalista Fernanda Costa-Moura, sob a nossa direção.

  • Criança diz cada uma!

    O Estado de S. Paulo, em 29/08/2021

    Num país de memória curta, temos o dever de reavivar o nosso patrimônio cultural, não deixando que as nossas raízes históricas esmoreçam. Nesse contexto, trazer à tona a trajetória de personalidades de grande sucesso tem um significado extremamente relevante.

    Tive o privilégio do convívio com um dos maiores dramaturgos da segunda metade do século 20. Meu compadre Pedro Bloch (1914-2004), padrinho do meu filho Celso, foi também um nome de grande importância na medicina, como um dos melhores foniatras do seu tempo.

  • Novas palavras no VOLP

    Jornal Dois Estados, em 25/08/2021

    Um dos orgulhos de pertencer à Academia Brasileira de Letras há muitos anos reside no fato de ser membro da sua Comissão de Lexicologia e Lexicografia, ao lado de figuras extraordinárias da nossa cultura, como é o caso de Evanildo Bechara. Pude assim colaborar para a renovação do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa e para a realização do seu Vocabulário Onomástico.

     

  • O inesquecível irmão Odilon

    Jornal Dois Estados, em 05/08/2021

    Tive na vida irmãos (três) maravilhosos, o Sylvio, o Odilon e o Júlio. Todos mais velhos, que nasceram ainda na Polônia, mas cedo vieram para o Brasil, ajudando os meus pais nas tarefas de educação dos irmãos mais moços, o Arnaldo e a Rachel. Não os decepcionei, fazendo do estudo a razão de ser da minha vida.