Início > Noticias > Correspondência entre Vilém Flusser e Sergio Paulo Rouanet é reunida em livro que será lançado na ABL

Correspondência entre Vilém Flusser e Sergio Paulo Rouanet é reunida em livro que será lançado na ABL

A Academia Brasileira de Letras sediará o lançamento do livro Correspondência, coletânea de cartas trocadas entre o filósofo tcheco-brasileiro Vilém Flusser e o Acadêmico, diplomata e filósofo Sergio Paulo Rouanet, no dia 27 de novembro, terça-feira, às 16 horas, no Petit Trianon, na Avenida Presidente Wilson, 203, Castelo, Rio de Janeiro.

Um trecho de duas das cartas trocadas foi selecionado pelos editores com objetivo de adiantar aos possíveis leitores a importância da troca de correspondências entre os dois:

“Meu caro amigo Rouanet,

“Acabo a leitura do seu livro Habermas, e não posso deixar de reagir imediatamente. Como você diz na sua carta: ‘operamos em quadros teóricos diferentes’, o que torna o nosso diálogo extremamente útil. Achei sua introdução ao livro excelente, e raramente tive um prazer tão emocional com texto tão abstrato. Esta carta vai procurar definir o ‘meu quadro teórico’ com relação ao seu, e restringirei a discussão à epistemologia”.

“Meu caro Flusser:

“Não sei o que mais devo admirar na sua carta, se sua capacidade de tirar conclusões certas a partir de premissas inaceitáveis, ou sua habilidade de formular conclusões erradas de forma extremamente persuasiva. Mas vamos a seus dois pontos, sem queimar etapas: a questão do positivismo e a do poder”.
 

OS AUTORES DAS CARTAS

Sergio Paulo Rouanet é o oitavo ocupante da Cadeira nº 13 da Academia Brasileira de Letras (ABL), eleito em 23 de abril de 1992, na sucessão de Francisco de Assis Barbosa. Graduado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP), possui em seu currículo diversos cursos no exterior. Foi Ministro da Cultura e é o primeiro ocupante da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciências do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da Universidade de São Paulo (USP).

Seus artigos (alguns dos quais podem ser acessados pelo site da ABL, www.academia.org.br) encontram-se publicados nas revistas Tempo Brasileiro; Estudos Avançados; Revista Brasileira; e em muitas outras internacionais. Seu trabalho, realizado dentro do espírito universalista de Goethe, valeu-lhe a Medalha Goethe, que lhe foi conferida em Weimar, Alemanha. Entre suas obras destacam-se Imaginário e dominação, Édipo e o anjo, As razões do Iluminismo, Mal-Estar na Modernidade, Os dez Amigos de Freud e Riso e melancolia.

Vilém Flusser nasceu em Praga, em 1920. É considerado um dos mais importantes pensadores da tecnologia e da comunicação do século XX, com obras traduzidas para diversos idiomas. Filho de uma família de intelectuais judeus, desde cedo foi incentivado aos estudos pelo pai, professor de matemática e física. Cursou filosofia na Universidade de Carolina (República Tcheca) e depois na London School of Economics and Political Science, mas os problemas decorrentes da guerra o impediram de os concluir.

Sua irmã, pais e avós são mortos em um campo de concentração nazista, em 1940, ano que emigra para o Brasil, país onde vive por 32 anos e em cuja língua produz algumas de suas mais importantes obras. Entre as décadas de 1960 e 1970 trabalha como jornalista, sobretudo para O Estado de S. Paulo. Colabora com a Revista Brasileira de Filosofia, ministra cursos e palestras no Instituto Brasileiro de Filosofia e, a convite de Milton Vargas, atua como professor de filosofia da ciência na Escola Politécnica da USP e de teoria da comunicação na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Flusser faleceu em 1991, em um acidente automobilístico em Praga.

30/10/2018