Início > Artigos

Artigos

  • A triste herança do povo ngro

    Diário do Amanhã (GO), em 06/12/2017

    O mês de no­vem­bro ocu­pa o lu­gar de pro­ta­go­nis­ta nas ce­le­bra­ções em tor­no da me­mó­ria do afro­des­cen­den­te no Bra­sil, em ra­zão do Dia da Con­sci­ên­cia Ne­gra, co­me­mo­ra­do no dia 20 (quan­do te­ria mor­ri­do o qui­lom­bo­la Zum­bi dos Pal­ma­res). É uma opor­tu­ni­da­de em que pen­sa­do­res e in­te­lec­tu­ais de to­do o Bra­sil pre­pa­ram uma agen­da es­pe­ci­al pa­ra que se re­fli­ta so­bre o te­ma. Ex­plo­rar a mul­ti­pli­ci­da­de de pen­sa­men­tos de um po­vo mui­tas ve­zes ig­no­ra­do é es­sen­cial pa­ra fi­xar e eter­ni­zar sua me­mó­ria.

  • O combate ao racismo

    Folha de São Paulo, em 03/12/2017

    O que há de mais singular na formação e no desenvolvimento da literatura afro-brasileira, em comparação com processos similares no resto do mundo, talvez seja o fato de os autores, sobretudo de 1930 em diante, terem a todo instante de declarar a palavra "negro" como instância de afirmação de uma identidade denegada pelo imaginário social hegemônico.

  • A ciência do raciocínio

    Correio Braziliense , em 14/10/2017

    A convite do ex-ministro Ernane Galvêas, fiz uma conferência sobre o ensino da matemática, no Conselho Técnico da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Lembrei os bons tempos em que me formei na ciência do raciocínio, na antiga e saudosa Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Hoje, quero dar voz aos amigos que fizeram, depois da conferência, comentários que me deram grande prazer. 

  • A nova revolução industrial

    Diário da manhã (GO), em 11/10/2017

    Vivemos o tempo da quarta revolução industrial, e daí surge a utilização da inteligência artificial (IA) nesse processo. Estamos conhecendo a existência de máquinas que são capazes de pensar como os humanos. Sabemos que os dois hemisférios IA — o cristalino e o trevoso — em pleno emprego na Universidade de Stanford são capazes de determinar se um indivíduo é heterossexual ou gay, num infernal avanço do desenvolvimento científico e tecnológico.

  • A escola dos nossos sonhos

    Diário da manhã (GO), em 05/10/2017

    Quando fomos apresentados a Duda Falcão, diretora da escola Eleva de Educação Básica, o mínimo que ela diz é que se trata, em Botafogo, da escola dos nossos sonhos. De fato, a visita é enriquecedora, pois na verdade é um maravilhoso reencontro. Naquelas instalações já funcionaram, com milhares de alunos, o Colégio Anglo Americano e a Sesat, instituição de ensino superior, com os seus cursos de Administração, Comércio Exterior e Informática.  Tivemos o prazer de participar desses projetos pedagógicos.

  • A hora do tempo integral

    O Globo, em 03/10/2017

    Talvez seja o exercício do óbvio proclamar a necessidade do tempo integral nas escolas públicas brasileiras, mas é preciso repetir essa verdade até que ela se transforme numa realidade.

  • Os sonhos seguram o mundo

    Diário da Manhã (GO), em 13/09/2017

    Quando eu disse à escritora Nélida Piñon, autora do famoso “A república dos sonhos”, que estava de viagem a Portugal, ela, de forma veemente, recomendou: “Não deixe de visitar a Fundação José Saramago. Há muito o que aprender com as obras do único escritor em língua portuguesa que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura.”

  • O sucesso do Canal Futura

    O Estado do Maranhão, em 06/09/2017

    Depois de uma existência fecunda de mais de 20 anos (estive na cerimônia do seu lançamento), pode-se afirmar o sucesso do Canal Futura pelo fato de ser conhecido de 46% da nossa população, cumprindo o papel de uma verdadeira Escola sem Paredes. Sua programação é tão rica que ela foi licenciada para a veiculação em emissoras da Europa, África, Estados Unidos, Ásia e América do Sul, com ações de mobilização comunitária. Tem uma preocupação dominante com a formação social dos jovens, trabalhando nas áreas do empreendedorismo, lideranças e produção audiovisual, dando apoio a projetos em escolas e espaços comunitários, além de produção de peças que podem ser veiculadas no próprio Canal.

  • Educação pede bom planejamento

    Correio Braziliense, em 31/08/2017

    A tecnologia está mudando a educação, não apenas na organização, escolha e disponibilidade dos conteúdos, mas também na distribuição. Isso obriga instituições de ensino a se adaptarem, ou vão fracassar nos novos conceitos da sociedade digital. Um dos objetivos da educação é desenvolver a capacidade de tomar decisões conscientes, formar o cidadão para a sociedade, tornando-os mais críticos sobre assuntos do cotidiano. 

  • Um trabalho inovador

    O Estado do Maranhão, em 31/08/2017

    No âmbito político, a Associação Brasileira Mantenedora de Ensino Superior (ABMES) registra uma trajetória de 35 anos de luta pelos interesses legítimos das instituições mantenedoras e mantidas, tendo como norte a defesa da livre iniciativa na educação. Merece registro o esforço do atual presidente Janguiê Diniz em promover a articulação do setor com os órgãos governamentais. Com uma atuação combativa, ousada, firme e independente, atuando com ética e responsabilidade. Apresentando sempre novas propostas para a melhoria do ensino superior, a atual gestão enverga a necessária postura negociadora sem subserviência.