Início > Acadêmicos > Josué Montello > Josué Montello

Bibliografia

História dos homens de nossa História, com Nélio Reis, 1936.

O sentido educativo da arte dramática, 1937.

Janelas fechadas, 1941.

Precisa-se de um anjo, 1943.

Gonçalves Dias, 1942.

Curso de organização e administração de bibliotecas, 1943.

Histórias da vida literária, 1944.

O tesouro de Dom José, 1944.

As aventuras do Calunga, 1945.

O bicho do circo, 1945.

Os holandeses no Maranhão, 1945.

A viagem fantástica, 1946.

Escola da saudade, 1946.

Reforma do Ensino Normal no Maranhão, 1946.

Conversa do Tio Juca, 1947 - 1948.

A luz da estrela morta, 1948.

Problemas da Biblioteca Nacional, 1948.

A cabeça de ouro, 1949.

O Hamlet de Antônio Nobre, 1949.

Cervantes e o moinho de vento, 1950.

Labirinto de espelhos, 1952.

Os feriados nacionais, 1953.

Fontes tradicionais de Antônio Nobre, 1953.

Ricardo Palma, clássico da América, 1954.

O verdugo, 1954.

O fio da meada, 1955.

Artur Azevedo e a arte do conto, 1956.

Estampas literárias, 1956.

Discurso de posse na Academia Brasileira de Letras, com o discurso de recebimento por Viriato Correia, 1956.

A décima noite, 1959.

A oratória atual do Brasil, 1959.

Caminho da fonte, 1959.

A miragem, 1959.

O Presidente Machado de Assis, 1961.

Os degraus do paraíso, 1965.

Santos de casa, 1966.

Duas vezes perdida, 1966.

Numa véspera de Natal, 1967.

Uma afinidade de Manuel Bandeira: Vicente de Carvalho, 1967.

Uma tarde, outra tarde, 1968.

Uma palavra depois de outra, 1969.

Un maître oublié de Stendhal, 1970.

Estante giratória, 1971.

Cais da Sagração, 1971.

Pedro I e a Independência do Brasil à luz da correspondência epistolar, 1972.

Discurso de saudação a Cândido Mota Filho na Academia Brasileira de Letras, 1972.

A indesejada aposentadoria, 1972.

Os bonecos indultados, 1973.

Os tambores de São Luís, 1975.

Aluísio Azevedo e a polêmica d’O Mulato. Rio, 1975.

A cultura brasileira, 1977.

Glorinha, 1977.

A polêmica de Tobias Barreto com os padres do Maranhão, 1978.

Noite sobre Alcântara, 1978.

A coroa de areia, 1979.

As três carruagens e outras histórias, 1979.

Fofão, Antena e o Vira-Lata inteligente, 1980.

O silêncio da confissão, 1980.

Pequeno anedotário da Academia Brasileira, 1980.

Literatura para professores do 1º grau, 1980.

Discurso de saudação a José Sarney na Academia Brasileira de Letras, 1981.

Largo do Desterro, 1981.

Aleluia, 1982.

Pedra viva, 1983.

Viagem ao mundo do Dom Quixote, 1983.

Discurso de recepção de José Guilherme Merquior na Academia Brasileira de Letras, 1983.

Uma varanda sobre o silêncio, 1984.

Os caminhos, 1984.

Diário da manhã, 1984.

Lanterna vermelha, 1985.

Perto da meia-noite, 1985.

Romances e novelas, 3 vols., 1986.

Antes que os pássaros acordem, 1987.

Diário da tarde, 1988.

A última convidada, 1989.

Um beiral para os bem-te-vis, 1989.

Alcântara, com Barnabás Bossahart e Hugo Loetscher, 1989.

O camarote vazio, 1990.

Diário do entardecer,1991.

O baile da despedida, 1992.

A viagem sem regresso, 1993.

Janela de mirante, 1993.

O Modernismo na Academia, testemunhos e documentos, 1994.

O carrasco que era santo, 1994.

Diário da noite iluminada, 1994.

Uma sombra na parede, 1995.

Um apartamento no céu, 1995.

O tempo devolvido, cenas e figuras da História do Brasil, 1996.

Fachada de azulejo, 1996.

Condição literária, 1996.

Romances escolhidos, 1996.

Enquanto o tempo não passa, 1996.

A formiguinha que aprendeu a dançar, 1997.

Memórias Póstumas de Machado de Assis, 1997.

Baú da juventude, 1997.

Primeiras notícias da Academia Brasileira de Letras, 1997.

A Academia Brasileira entre o Silogeu e o Petit Trianon, 1997.

Os inimigos de Machado de Assis, 1998.

O Juscelino Kubitschek de minhas recordações, 1999.

Sempre serás lembrada, 2000.