Início > Acadêmicos > Alceu Amoroso Lima (pseud. Tristão de Ataíde) > Alceu Amoroso Lima (pseud. Tristão de Ataíde)

Biografia

Quarto ocupante da Cadeira 40, eleito em 29 de agosto de 1935, na sucessão de Miguel Couto e recebido em 14 de dezembro de 1935 pelo Acadêmico Fernando Magalhães. Recebeu os Acadêmicos Afonso Pena Júnior, Viana Moog, Gilberto Amado, Augusto Meyer, Dom Marcos Barbosa e José Américo de Almeida.

Alceu Amoroso Lima nasceu na cidade de Petrópolis, RJ, a 11 de dezembro de 1893. Filho de Manuel José Amoroso Lima e de Camila da Silva Amoroso Lima, faleceu na mesma cidade a 14 de agosto de 1983.

Cursou o Colégio Pedro II e formou-se em Direito pela Faculdade do Rio de Janeiro em 1913.

Crítico literário e polígrafo, adotou o pseudônimo de Tristão de Ataíde. Em 1926 publicou o livro Afonso Arinos, estudo crítico sobre a obra do escritor mineiro falecido em 1916.

Em Estudos reuniu, em cinco séries, trabalhos de crítica datados do período 1927-1933, sendo considerado o crítico do modernismo.

Convertido ao catolicismo por influência de Jackson de Figueiredo, Alceu tornou-se um dos mais respeitados paladinos da Igreja Católica no Brasil. Assumiu a direção do Centro Dom Vital, que congregava os líderes do catolicismo no Rio de Janeiro.

Catedrático de Literatura Brasileira na Faculdade Nacional de Filosofia, foi um dos fundadores, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, bem como Diretor de Assuntos Culturais da Organização dos Estados Americanos (1951).

Além da vasta obra literária, desenvolveu Alceu grande atividade jornalística e ministrou cursos sobre civilização brasileira em universidades estrangeiras, inclusive na Sorbonne e nos Estados Unidos. Como articulista do Jornal do Brasil, destacou-se no combate ao regime militar.

Atualizado em 24/11/2016.