Início > Acadêmicos > Alberto da Costa e Silva > Alberto da Costa e Silva

Biografia

Quarto ocupante da Cadeira nº 9, eleito em 27 de julho de 2000, na sucessão de Carlos Chagas Filho, e recebido pelo acadêmico Marcos Vinicios Vilaça em 17 de novembro de 2000. Recebeu o acadêmico José Mindlin. Presidiu a Academia Brasileira de Letras em 2002 e 2003.

Alberto Vasconcellos da Costa e Silva nasceu em São Paulo, em 12 de maio de 1931. Filho do poeta Da Costa e Silva (Antônio Francisco da Costa e Silva) e de Creusa Fontenelle de Vasconcellos da Costa e Silva.

Fez os estudos primários e iniciou o curso secundário no Colégio Farias Brito, em Fortaleza. Em 1943, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde cursou o Externato São José e o Instituto Lafayette. Diplomata pelo Instituto Rio Branco em 1957.

Professor do Curso de Aperfeiçoamento de Diplomatas do Instituto Rio Branco em 1971-1972. Presidente da Banca Examinadora do Curso de Altos Estudos do Instituto Rio Branco, de 1983 a 1985, e vice-presidente de 1995 a 2000.

Membro do Conselho Nacional de Direito Autoral, em 1984 e 1985.

Membro do Comitê Científico do Programa Rota do Escravo, da UNESCO, de 1997 a 2005.

Membro do Júri do Prêmio Camões em 2001 e 2003.

Doutor Honoris Causa em Letras pela Universidade Obafemi Awolowo (ex-Uni­versidade de Ifé), da Nigéria, em 1986 , e em História pela Universidade Federal Fluminense, em 2009, e pela Universidade Federal da Bahia, em 2012.

Prêmio Juca Pato – Intelectual do Ano de 2003, da União Brasileira de Escritores e  Folha de S. Paulo.

Homem de Idéias de 2007, escolhido pelo Jornal do Brasil.

Prêmio Camões, 2014.

Membro do PEN Clube do Brasil. Sócio titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e da Academia Portuguesa da História.

Presidente da Academia Brasileira de Letras em 2002-2003; Secretário Geral em 2001; Primeiro Secretário em 2008-2009 e Diretor das Bibliotecas em 2010-15.

Carreira diplomática

Secretário na Embaixada do Brasil em Lisboa (1960-63) e na Embaixada de Caracas (1963-64);

Cônsul em Caracas (1964-67);

Auxiliar do Secretário-Geral de Política Exterior (1967-69);

Secretário na Embaixada em Washington (1969);

Oficial de Gabinete e Assessor de Coordenação do Ministro das Relações Exteriores (1970-74);

Ministro-Conselheiro na Embaixada em Madri (1974-76);

Ministro-Conselheiro na Embaixada em Roma (1977-79);

Embaixador em Lagos, Nigéria (1979-83) e cumulativamente em Cotonu, República do Benim (1981-83);

Chefe do Departamento Cultural do Ministério das Relações Exteriores (1983-84);

Subsecretário-Geral de Administração do Ministério das Relações Exteriores (1984-86);

Embaixador em Lisboa (1986-90);

Embaixador em Bogotá (1990-93);

Embaixador em Assunção (1993-95);

Inspetor-Geral do Ministério das Relações Exteriores (1995-98).

Representou o Brasil em numerosas reuniões internacionais, tendo sido delegado do Brasil na reunião da Comissão Econômica das Nações Unidas para a África, em Adis Abeba, em 1961; representante pessoal do Ministro das Relações Exteriores nos encontros ministeriais, realizados em São Domingos, em 1984, pela Organização dos Estados Americanos, para a preparação das comemorações do V Centenário do Descobrimento da América; e representante pessoal do Ministro das Relações Exteriores na Reunião dos Ministros das Relações Exteriores do Mecanismo Permanente de Consulta e Concertação Política (Grupo do Rio), em 1991.

Condecorações

Brasileiras

Grã-cruz da Ordem de Rio Branco; grande oficial da Ordem do Mérito Militar; grande oficial da Ordem do Mérito Aeronáutico; comendador da Ordem do Mérito Naval; Comendador da Ordem do Mérito Cultural; Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico; grã-cruz da Ordem Estadual do Mérito da Renascença do Piauí; grã-cruz da Ordem do Mérito de Brasília; medalha do Pacificador; medalha do Mérito Tamandaré; medalha do Mérito Santos Dumont; medalha do Mérito Cultural Oliveira Lima, do Governo de Pernambuco; medalha do Mérito Cultural Da Costa e Silva, do Governo do Piauí.

Estrangeiras

De Portugal: grã-cruz da Ordem Militar de Cristo; grã cruz da Ordem Militar de Santiago da Espada;  grã-cruz da Ordem do Infante Dom Henrique. Da Colômbia: grã-cruz de Boyacá; comendador da Ordem de San Carlos. Do Paraguai: grã-cruz da Ordem do Mérito. Do Peru: grã-cruz da Ordem do Sol; grã-cruz da Ordem do Mérito por Serviços Distinguidos. Da Espanha: comendador com placa da Ordem de Isabel, a Católica. Da Itália: grande oficial da Ordem do Mérito. Da Venezuela: Ordem de Francisco de Miranda, em sua segunda classe; comendador da Ordem do Libertador. Da Bolívia: comendador da Ordem do Condor dos Andes. Do Egito: comendador da Ordem da República. Do Equador: comendador da Ordem Nacional do Mérito. Dos Camarões: oficial da Ordem do Mérito. Da Costa do Marfim: oficial da Ordem do Mérito. Do Gabão: oficial da Ordem da Estrela Equatorial. Da Guatemala: oficial da Ordem do Quetzal. Da Nicarágua: oficial da Ordem de Rubén Darío. Do Togo: oficial da Ordem do Mono.

Última atualização em 4/3/2016.